13 de junho de 2017

Dados do varejo brasileiro mostram que reformas e medidas executadas já surtem efeito, comenta presidente da ACSP

Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), avalia os resultados do varejo nacional divulgados hoje pelo IBGE.

“A alta registrada em abril – na variação anual – surpreendeu. O desempenho melhor nos segmentos de supermercados, vestuário e itens pessoais sugere que a deflação dos alimentos, a elevação da massa salarial e os recursos do FGTS tiveram participações essenciais para o resultado”, diz Burti. Ele acrescenta que a mudança de estação também contribuiu para as vendas de roupas e calçados da moda Outono-Inverno.

O presidente da ACSP lembra que, em 2017, a Páscoa foi celebrada em abril, ao passo que em 2016 foi em março, o que beneficiou o ramo de supermercados na pesquisa publicada hoje.

“Já os resultados negativos dos produtos de maior valor ― como veículos, móveis e construção ― se explicam pela maior dependência de crédito. Para isso se reverter, as taxas de juros precisam continuar a cair”, ressalta ele.
“De qualquer maneira, os números mostram que a política econômica do governo está na direção certa, embora ainda haja muito espaço para recuperação (apesar da crise política). As reformas e as medidas executadas já surtem efeito”, finaliza Alencar Burti.