9 de agosto de 2017

“Contribuintes têm sido chamados a pagar pelos desequilíbrios das contas públicas”, diz presidente da ACSP sobre aumento de imposto

O presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Alencar Burti, comenta as notícias de que o governo estuda aumentar novamente impostos para tentar equilibrar o orçamento de 2018.

“As notícias causam grande preocupação para os empresários e para toda população, uma vez que, direta ou indiretamente, todos são afetados negativamente pelo aumento da carga tributária”, diz ele.    

Burti lembra que, “nas últimas décadas, os contribuintes têm sido chamados a pagar pelos desequilíbrios das contas públicas e, cada vez mais, as despesas continuam crescendo sem que se adotem medidas capazes de controlar os gastos”.

“Grande parte desses gastos, inclusive, financia privilégios crescentes de diversas categorias em vez de reverter em mais e melhores serviços para a população, especialmente a mais carente, que sofre mais pela ausência ou qualidade do atendimento”, complementa Burti.

Ele chama a atenção para a responsabilidade do Congresso, “que precisa rejeitar qualquer aumento de impostos e aprovar as medidas necessárias ao controle das despesas, a começar pela reforma previdenciária, que precisa ser aprovada sem concessões que desfigurem seu aspecto mais importante: igualar as condições de aposentadoria de todas as categorias”.

Por fim, ele destaca a necessidade de as entidades empresariais e os empresários em geral ficarem atentos para impedir novo aumentos tributários, esclarecendo os parlamentares acerca dos impactos negativos sobre o nível de atividade e o emprego, além de mobilizar a população.